Boletim Eletrônico



Juventude do PdAC lança blog e jornal PDF Imprimir E-mail
ITÁLIA
Escrito por Adriano Lotito *   
Sex, 13 de Abril de 2012 00:03
Um blog e um jornal para um setor que cresce
  
Há um ano as revoluções do Norte da África e no Oriente Médio, e as sucessivas rebeliões dos Indignados em todo o mundo, provocaram um choque na ordem estabelecida, fazendo tremer os interesses das grandes multinacionais, derrubando os regimes ditatoriais estabelecidos há décadas, construindo um vislumbre de esperança para um futuro diferente, por um “outro mundo possível”,  pela superação do sistema capitalista em crise estrutural. Estas revoluções foram possíveis graças ao fervor revolucionário das massas e, em primeiro lugar, pela sua presença nas praças, ao contrário do que imaginam aqueles que têm mistificado a inexistente “revolução do twitter”. É certo, todavia, que os instrumentos de comunicação que os jovens, estudantes e trabalhadores, utilizaram para passar pela censura midiática dos grandes meios de comunicação (nas mãos dos patrões, como sempre) e para organizar-se teve um papel importante. Mas esta não é uma grande novidade: não era Lênin (um século antes da internet) a falar do jornal dos comunistas, isto é, um meio de comunicação, como um dos mais importantes instrumentos de organização?
 
É assim que nós, Jovens da Alternativa Comunista, um setor que nasceu a pouco tempo a partir constatação de que uma parte significativa dos novos militantes do PdAC é de jovens, primeiro começamos com um encarte periódico, distribuído junto com o jornal do partido, Progetto Comunista. E agora, não ignorando o grande potencial comunicativo que existe na web, lançamos um novo blog, um instrumento que não pretende ser um fim em si mesmo (como os bate-papos vendoliane[2] a propósito de um hipotético novo “vocabulário da esquerda”), mas que representa uma exceção na realidade midiática, por trás dos quais existem lutas reais, ações e programas concretos, jovens trabalhadores e estudantes em carne e osso que vêm o futuro negado e que por isso lutam cotidianamente para derrubar um sistema, o capitalista, que chega ao fim e que não pode assegurar nem mais as migalhas aos estratos desfavorecidos da sociedade (em constante aumento).
 
Este novo blog é inteiramente dirigido pelos jovens companheiros, o material publicado é fruto unicamente de suas mãos e onde se pode encontrar, agora mesmo, artigos sobre a situação nacional e internacional, sobre temas mais polêmicos da atualidade da luta de classes: da luta dos No-Tav[3], à corajosa oposição com a qual os trabalhadores gregos responderam às medidas da Troika, passando por um estudo breve, mas aprofundado, sobre a atual precarização.
 
Mas o blog dos Jovens do PdAC, não é apenas isso: é ainda arte, cinema, poesia e naturalmente... revolução. Se a vanguarda política é o instrumento para a subversão do sistema atual, a vanguarda artística é o seu reflexo, preparando culturalmente o terreno e atacando os pilares ideológicos sobre os quais é regida a hegemonia burguesa. Também porque decidimos deixar um espaço reservado a analise de alguns filmes e, mais em geral, de algumas obras de arte que considerarmos de contracorrente com relação aos produtos massificados com os quais nos nutre hoje o mercado da cultura dominante.
 

Da heroica revolução argelina retratada no célebre filme de Pontecorvo, do cinema de denúncia social dos anos setenta, e para concluir, também os nossos contos, escritos pelos jovens companheiros talentosos com a caneta. Diferente do intelectualismo desagradável com o qual a chamada esquerda radical enche a boca, aquela que tem Saviano[4] como mestre...
 
O traço comum que liga os vários artigos e histórias presentes no blog é apenas um e constitui a base da nossa ação política: a necessidade de construir uma vanguarda, de jovens e trabalhadores, que possa dirigir as massas em luta para derrubar o capitalismo. Esse é o centro de todo o ensinamento de Marx, Lênin e Trotsky: construir um instrumento político organizativo independente dos patrões e dos seus governos e determinado a levar avante as reivindicações no interesse das classes exploradas, construir aquele partido revolucionário que hoje falta, mas que é urgentemente necessário para levar a um fim bem sucedido todas as lutas que surgiram nestes anos (das revoluções árabes aos movimentos Occupy).
 
A construção dos Jovens da Alternativa Comunista é uma pequena etapa para a construção desse partido, uma tarefa na qual estamos empenhados com muitos companheiros e companheiras, italianos e imigrantes, na Itália e internacionalmente, a partir do trabalho dos jovens de todas as seções européias da Liga Internacional dos Trabalhadores – Quarta Internacional (LIT-QI), da Espanha à Bélgica, de Portugal à Rússia.
 
O blog dos Jovens, assim como o panfleto periódico, serão observatórios que atualizarão todas as principais frentes de luta anticapitalista no mundo, mas também um ponto de encontro, uma ocasião para agregar jovens que querem mudar o mundo, isto é, que querem fazer a revolução (“a Revolução se pode fazer!”, é o lema que abre o blog), e que não se sentem mais representados pelos partidos da esquerda reformista (da Refundação Comunista ao SEL), interessados apenas em como entrar no próximo governo burguês.
 
A todos os jovens companheiros e companheiras que procuram uma organização para construir junto, os Jovens do PdAC oferecem um oportunidade de lutar verdadeiramente e concretamente, nas praças, nas escolas, nos locais de trabalho, pelo próprio futuro, sem compromisso e sem outros fins que não sejam aqueles de construir um mundo diferente, porque, como dizia Trotsky, “a vida é bela” e é tarefa dos jovens liberta-la de toda exploração e brutalidade.
 
Ah, e para quem quiser dar uma olhada, o blog é http://giovanidialternativacomunista.wordpress.com/
 
Adriano Lotito é responsável pela Juventude do PdAC.
 
Tradução: Nívia Leão.


Notas do tradutor

[2] Grupos de bate-papo ligados à Vendola, governador da Puglia e líder do SEL – (Partido Esquerda, Ecologia e Liberdade)
[3] No Tav – Movimento contra a construção de uma linha de trem de alta velocidade por considerá-la apenas de interesse de grandes empresas e inútil à população.
[4] Jornalista e escritor italiano que escreveu o livro Gomorra, sobre a organização mafiosa na Itália, que inspirou o filme Gomorra dirigido por Matteo Garrone.

rssfeed
Email Drucken Favoriten Twitter Facebook Myspace Stumbleupon Digg MR. Wong Technorati aol blogger google reddit YahooWebSzenario